Universo

R$35,00

Prefaciar uma obra de Antonio Pereira Dornelles trata de ser uma honraria inédita. Fomentar o pensamento lúdico de nossa origem é algo intrigante; nesta publicação “UNIVERSO”, o autor nos instiga a pensar e refletir sobre o como viemos, de onde viemos, que forças o universo desenvolveu para a criação da humanidade. Dornelles, de formação em Direito, dedicou sua trajetória das leis na função de promotor público, trazendo ao lume suas sentenças com origem na família e no diálogo com a sociedade. Sempre ouviu os autores de seus processos e estampou suas sentenças em forte apelo social e humanista. Aos 90 anos, torna-se um pensador, buscando as origens do universo em pesquisas como a Teoria do Universo em expansão, ou Big Bang, em Charles Darwin na origem da vida; em Física quântica, busca a concepção de Erwin Schrodinger na sua Origem da Vida. Pesquisou também filósofos gregos, como Mileto em suas reflexões sobre a Teoria da Matéria. Brindou-nos com publicações que aprofundaram a pesquisa sobre Cosmologia face à origem do Universo, e como arguição da existência do Cosmos. Na sequência de sua busca, trata da Origem da Vida em suas múltiplas facetas. Agora, aos 97 anos, com enorme capacidade reflexiva, traz a nós, estudiosos, professores, interessados na temática, essa nova publicação com uma coletânea de temas que nos fazem refletir sobre a intrigante Origem do Universo, o Cosmos, o Planeta Terra, a Origem da Vida, todos com seus mistérios, sob ângulos distintos. 

Porto Alegre, novembro de 2021 

Eduardo Cortez Balreira Professor

Autor: Gênero: , , ,

Descrição

Que princípio ou princípios podem explicar como tudo começou? A ciência diz que o Universo teve um começo com o tempo. Não no tempo. É por isso que o Universo é eterno, é um atributo do tempo que sempre existiu. Por que o Universo tem um limite cósmico? Por que chamamos esse limite cósmico de superfície de última difusão da luz? Por ali a luz não pode passar. Sabemos que Einstein previu uma velocidade para os objetos que se movem no espaço e outra velocidade para o próprio espaço, superior à velocidade da luz. Einstein também afirmava que temos o poder da imaginação. Podemos concluir que a velocidade do espaço superou a da luz, atingindo regiões que não mais podemos ver. É o motivo pelo qual não conseguimos visualizar o que se situa além do nosso universo observável.